IX Encontro Nacional de Ensino de Geografia

Votação para identidade gráfica do encontro encerrada

A arte enviada por Francisco Humberto foi escolhida como identidade gráfica para o IX Fala! 2019

Contando com 164 respostas a arte enviada por Francisco juntou 90 votos (55%) dos votos. A arte de Pedro Israel juntou 39 votos (24%), enquanto a arte enviada pela AGB - seção local ABC 25 (15%) votos e a proposta de Jackson Cordeiro juntou 10 (6%) votos.

Guiando-nos pelo tripé "resistência, saberes e poderes", experimentamos a imagem do fogo - aqui domesticado na figura do fósforo - como símbolo do poder que destrói, mas ao mesmo tempo arvora o novo. O fósforo que nunca se queima é o poder da resistência que guarda em si a potência de também se inflamar. E o próprio fogo domado é uma lembrança dos saberes que nos trouxeram até aqui desde sua dominação, e que não podem ser abandonados. Em tempos sombrios de anticientificismo e negação de saberes, tanto os populares quanto os acadêmicos, a educação encontra-se verdadeiramente ameaçada em muitas frentes, seja de forma institucional ou não. A lembrança do Museu Nacional consumido pelas chamas está presa na retina e é o símbolo maior do perigo que está posto. Mas o fogo arvora o novo. Em forma de saber e poder, e também de resistência.


Votação aberta para a identidade gráfica do encontro

Seguindo o Edital para escolha da arte do IX Fala! 2019 apresentamos as artes enviadas para que a comunidade contribua com a escolha através da votação online


1 - Arte de Pedro Israel Mota Pinto 

As escolhas da construção da arte levaram em consideração o tema e a ementa do evento em cada uma das imagens utilizadas. Tentei passar a proposta que o IX Fala Professor repassou com o título e ementa do evento. A primeira imagem do professor (a) em cima dos livros, conseguindo assim uma visão mais ampla do espaço, significa os Poderes obtidos através da educação, com o objetivo de ter uma visão além do alcance, e poder ver através da paisagem.

Nesse sentido, se segue para a segunda imagem, onde há somente a cabeça do professor, e dela emana muitas conexões, formando uma rede de Saberes, construindo assim uma bagagem que ajudará o educando a conseguir conquistar seu sonho através da contribuição dos conhecimentos do professor (a), com a ajuda do profissional da educação dentro da perspectiva a prática contínua do ensino.

E a terceira imagem, manifestada em punhos fechados e erguidos, significa as lutas e a Resistências diante o cenário atual, cujo os professores estão sendo vistos como os vilões, e a Geografia como disciplina desfavorecida perante o novo currículo. Passando assim a mensagem da união e para proteger o legado dos educadores que estão sendo massacrados pela atual conjuntura do país.


2 - Arte enviada pela AGB Seção Local ABC 


3 - Arte de Francisco Humberto 

Guiando-nos pelo tripé "resistência, saberes e poderes", experimentamos a imagem do fogo - aqui domesticado na figura do fósforo - como símbolo do poder que destrói, mas ao mesmo tempo arvora o novo. O fósforo que nunca se queima é o poder da resistência que guarda em si a potência de também se inflamar. E o próprio fogo domado é uma lembrança dos saberes que nos trouxeram até aqui desde sua dominação, e que não podem ser abandonados. Em tempos sombrios de anticientificismo e negação de saberes, tanto os populares quanto os acadêmicos, a educação encontra-se verdadeiramente ameaçada em muitas frentes, seja de forma institucional ou não. A lembrança do Museu Nacional consumido pelas chamas está presa na retina e é o símbolo maior do perigo que está posto. Mas o fogo arvora o novo. Em forma de saber e poder, e também de resistência.


4 - Arte de Jackson Cordeiro 

Em formato hexagonal, estão dispostas seis manchas de mãos unidas pela parte inferior da palma. Sob estas há uma espiral - em um gradiente de cor preto, vermelho e branco - que radia do centro. No centro, há uma esfera negra, com reflexo vermelho. Sob a esfera, encontra-se inscrito - em branco - na parte superior a abreviatura do evento "IXFP", enquanto que na parte inferior ao ano "2019". Sob o brasão, está inscrito - em um gradiente linear horizontal de cor preto, vermelho e preto - "IX FALA PROFESSOR", enquanto que na linha inferior, está inscrito - em um gradiente linear vertical de cor vermelho e preto - "2019".

1. Simbolismo das cores

Ao longo de toda a História, houve pessoas que conquistaram e dominaram territórios, impondo suas ideologias e fazendo com que as outras pessoas fossem aderindo estas novas ideologias. Ao mesmo tempo, haviam pessoas que não aceitaram ser dominadas e se rebelaram contra o sistema vigente, o qual lutaram (lutam) e resistiram (resistem). Para que pudessem fazer florescer um novo mundo. Em consequência disso, as cores que estão sendo representadas são o preto, o vermelho e o branco. O preto é uma cor que reflete poder e autoridade, por isso ela simboliza os portadores da opressão, que dominam e impõem ideologias a serem seguidas. O vermelho, em muitas culturas representa sangue e luta, por isso que na política, ela está associada ao espírito revolucionário, aqui representam os professores, que possibilitam fazer refletir sobre as causas dos fenômenos existentes. O branco é uma cor associada a libertação e renovação, por isso ela representa o novo mundo que está a florescer, pautado na cooperação, igualdade e solidariedade entre os povos.

2. Simbolismo dos itens

Os principais itens representados no logotipo são as mãos, o hexágono, a espiral e a esfera. As mãos caracterizam o Homem, a espécie mais poderosa de todo o planeta Terra. Com elas, aperfeiçoamos e desenvolvemos novas técnicas, na qual utilizamos para realizar as nossas atividades do cotidiano. Na representação, possui significado ambíguo, na qual a mesma mão que representa o poder da opressão, é a mesma que simboliza o poder da resistência.

O hexágono, formado pela disposição das seis mãos, além de representar os seis continentes, representam as seis ementas que regem o presente evento. 

A espiral, a qual radia do centro, e que dá forma a uma flor em desabrochar. Simboliza o tempo, seja ele o passado (preto), o presente (vermelho) e o futuro (branco).

A esfera, na qual está a florescer, é a representação do novo mundo. Também simboliza o lugar que sediará o evento, que corresponde a cidade de Belo Horizonte.

3. Simbolismos geográficos

Com a disposição dos itens do logotipo, percebe-se a existência de alguns símbolos que

representam a Geografia, tais como a rosa-dos-ventos, a esfera armilar, e as principais

categorias de análise da Geografia.

  • Rosa-dos-ventos

A rosa-dos-ventos, erroneamente é considerado um símbolo que representa a Geografia, consiste na representação das principais direções utilizadas para a localização. No logotipo percebe-se, principalmente, a representação dos pontos cardeais e colaterais.

  • Esfera armilar

A esfera armilar é uma representação reduzida do cosmo, sendo um instrumento utilizado para se localizar no espaço. Consiste em uma esfera pequena central, circundada por diversas armilas (anéis, braceletes ou argolas), que corresponde as principais latitudes e meridianos terrestre, além da eclíptica.

  • Categorias de análise

No logotipo também podemos conceber a representação das principais categorias de análise da Geografia. O Espaço é representado pela totalidade do brasão, que compreende as mãos e a esfera. A Região é concebida como sendo cada uma das mãos, pois estas simbolizam os seis continentes. O Território, compreendido como um espaço de poder, aqui é abstratamente delimitado nas mãos. O Lugar é representado pela esfera central. A rede está sendo represento pelas linhas da espiral e das mãos.